notíciaAtvos, do grupo Odebrecht, entra com pedido de recuperação judicial

3 de junho de 2019

Segunda maior produtora de etanol do país, a Atvos entrou com pedido de recuperação judicial na última quarta-feira (29). A companhia pertence ao grupo Odebrecht e se chamava Odebrecht Agroindustrial até 2017.

O pedido de recuperação ocorreu após a gestora de fundos norte-americana Lone Star ter conseguido na justiça brasileira uma ordem de bloqueio do caixa da Atvos no início da última semana, segundo a agência Reuters.

Em janeiro, a Odebrecht propôs a credores no Brasil a entrega do controle da Atvos em troca por uma redução na dívida de R$ 12 bilhões da companhia.

“Este processo é resultado da investida hostil de um fundo internacional, credor da Atvos, que por meio de processo judicial colocou em risco as operações da empresa”, informou a Atvos por meio de nota.

Após a justiça aceitar o pedido de recuperação judicial, a empresa terá 60 dias para apresentar um plano.

Credores pegos de surpresa

A Atvos é a primeira empresa do grupo Odebrecht a pedir recuperação judicial. Para a Ocyan (ex-Odebrecht Óleo e Gás), por exemplo, a solução encontrada pelo conglomerado foi uma recuperação extrajudicial, modelo em que um alongamento de dívida é acordado diretamente com credores.

Segundo a Reuters, o pedido pegou de surpresa credores da empresa, como Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, BNDES, Bradesco, Itaú Unibanco e Santander Brasil. A Odebrecht vinha oferecendo o controle da Atvos a esses bancos como opção para um processo de reestruturação de dívida do grupo como um todo.

“Este processo é resultado da investida hostil de um fundo internacional, credor da Atvos, que por meio de processo judicial colocou em risco as operações da empresa”, disse a Atvos, sem citar nomes.

Enquanto negociava com credores, a Odebrecht vinha tentando isolar a gestão financeira da Atvos, justamente para evitar que a eventual derrocada dela contaminasse o conglomerado, trabalho que vinha sendo coordenado por Ricardo Knoepfelmacher, também conhecido como Ricardo K, por meio da consultoria RK Partners.

Ainda de acordo com a Reuters, o processo estava evoluindo, mas foi atropelado pela movimentação da Lone Star, que bloqueou o caixa da companhia, deixando-a sem alternativas.

A empresa

A Atvos tem 11 anos de atuação e mais de 11 mil funcionários, gerando mais de 40 mil empregos diretos e indiretos. Na safra de 2019/2020, deve moer cerca de 27 milhões de toneladas de cana.

A empresa atua em quatro Estados: São Paulo, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso e Goiás e tem 9 unidades agroindustriais.

Além de etanol, a empresa produz açúcar e energia gerada a partir de biomassa. Tem capacidade para moer 36 milhões de toneladas de cana-de-açúcar e para produzir 3 bilhões de litros do combustível, e 700 mil toneladas do adoçante.

Fonte: G1

Siga o Sartori Advogados nas redes sociais